Logo NHL Brasil

A equipe texana foi de uma das favoritas, à grande decepção da temporada até aqui

19-10-2019 | Publicado por: Caique Tomiya

Dallas Stars - O que acontece?

Quando o Dallas Stars se movimentou no início da Free Agency, muito se falou do quão sólida a equipe do Texas se tornou e como havia subido o degrau em direção ao topo da lida, ao menos no papel. Vindo de uma temporada onde também demorou a engrenar, a equipe contou com a liderança tardia de suas estrelas e também a ascenção de jovens talentos como Miro Heiskanen, Esa Lindell e Roope Hintz.

Após a boa campanha na reta final da última temporada e a boa performance nos playoffs, onde a equipe acabou caindo diante do St Louis Blues, que viria a se tornar o campeão, os Stars foram ao mercado em Julho e reforçaram seu plantel com o talentoso Joe Pavelski, Corey Perry e o defensor Andrej Sekera. 

Com Pavelski para liderar uma linha abaixo do trio principal (Benn-Seguin-Radulov), Perry como uma boa adição para o depth da equipe e a um preço módico e Sekera pra ajudar a dar conta do trabalho sujo na defesa ao lado dos talentosos Klingberg, Heiskanen e Lindell, esperava-se um Dallas Stars com um começo mais "rápido" e dominante, certo? Bem, esperava-se...

O começo da equipe texana é tenebroso! Claro que temos que levar em conta que tivemos apenas 9/10 jogos até aqui na temporada e a mesma é muito longa, com muito tempo para recuperação, como o próprio Stars mostrou na última temporada. Mas o fato é: A equipe tem seu pior início desde o North Stars em 1990-91 e isso tem preocupado a todos. Mas afinal, qual a razão desse começo tão ruim? 

Bem, podemos sem dúvidas começar com a já famosa e até cansativa análise mostrando os PÉSSIMOS números dos principais jogadores da equipe. Em 9 partidas os números são: 

Tyler Seguin - 2 gols, 2 assistências
Alexander Radulov - 1 gol, 3 assistências
Jamie Benn - 1 gol, 2 assistências
John Klingberg - 1 gol, 2 assistências 
Joe Pavelski - 1 gol, 1 assistência 


Até aqui na temporada, os pontos positivos da equipe tem sido Roope Hintz e Miro Heiskanen, porém os dois sozinhos não conseguirão fazer tanta diferença. Mais uma vez as estrelas em Dallas começam a temporada em baixa, em algo que já se tornou rotineiro, mas que segue incomodando a torcida da equipe.

O sistema de pressão e posse do disco proposto pelo técnico Jim Montgomery está sendo ineficiente, o aproveitamento no Power Play pífio (4.0%), sendo o 3º pior da liga no momento. A defesa também não vai nada bem, sendo a 4ª pior da liga em gols sofridos até aqui. Para aumentar ainda mais as "especulações", nas últimas semanas foi noticiado que a equipe dos Stars estava em um ritmo de treinos muito leves, para não dizer praticamente inexistente, o que gerou diversas críticas por parte da torcida e da imprensa local. 

A TORCIDA TEM MOTIVO PARA SE ALARMAR? PRECISA PENSAR EM TROCAR PEÇAS, ARRUMAR A CASA ETC???

Definitivamente NÃO! 

Não há motivos para pânico, nem tomar qualquer tipo de medida no sentido de promover mudanças no plantel da equipe, a temporada é muito longa e como dito anteriormente, há muito tempo para buscar uma recuperação. A questão é: Montgomery e seus comandados precisam trabalhar para identificar o que está faltando, corrigir os erros e entrar no caminho das vitórias, pois, por mais longa que seja a temporada, a Divisão Central dá indícios que será extremamente competitiva novamente e sair muito atrás assim pode acabar prejudicando as pretensões da equipe para a pós temporada.

 

 


 


Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião deste site. Se achar algo que viole os termos de uso, denuncie. Leia as para saber o que é impróprio ou ilegal.